reunimos alguns dos nossos títulos em apanhados. com isso, propomos fricções, encontros inesperados – ou desencontros. é o nosso modo de sugerir que leiam o livro ao lado, escutem vozes dissonantes do contemporâneo. os livros se aproximam e se distanciam na medida de suas leituras: descobertas e experimentações. na compra de um apanhado, os títulos têm valor promocional.

 

neste pacote reunimos:

_a ordem dos fatores ocultos, de Caco Pontes

_escoliose: paralelismo miúdo, Ana Frango Elétrico

_karokê e jukebox, de Dimitri Br

 

 

sobre os livros:

 

Um jogo de tarot: o louco, o mago, o diabo. Um sujeito fragmentado, afinado com o espírito do nosso tempo – nossa velocidade, nossa inexatidão – busca por autoconhecimento e elevação espiritual. Esta é a narrativa desse livro de Caco Pontes, o quarto do poeta. Divido em três blocos, ele avança em um percurso alucinado, onde a poesia é lugar de investigação do espírito; e a palavra, instrumento de conexão com a ancestralidade. De certo modo, a comunhão e o mistério intrínsecos à palavra atravessam não só esse, mas todos os trabalhos de Caco. Atento à oralidade, de modo a não descolar voz e texto escrito, as performances que o poeta realiza há mais de década sempre revelaram esse estado anterior da linguagem. Não à toa, o leitor encontra em cada exemplar deste A ordem dos fatores ocultosum cartão de memória, no qual pode ouvir a performance desses poemas.

 

//

 

Livro de estreia da artista Ana Frango Elétrico, Escoliose: paralelismo miúdo reúne poemas, gravuras e ilustrações feitos entre 2015 e 2019. Nele, a autora assimila poéticas várias para compor o conceito-chave de seu trabalho, autodenominado “paralelismo miúdo”: de Yoko Ono a Ana Cristina Cesar, passando por Rimbaud e Garcia Lorca, pela poesia concreta, pela blague modernista e pelo ready-made. A todas elas, Ana imprime sua marca pessoal e intransferível, já conhecida do público pelas letras de seus dois discos (muitas das quais surgiram a partir de poemas), amparada em sua vivência de jovem artista do terceiro milênio.

 

//

 

Nesta dupla publicação, Dimitri BR investiga as relações entre a canção e o poema, entre a voz e o fazer da música e os do poema. Enquanto jukebox reúne textos do autor publicados em revistas, jornais e antologias – ou saídos em discos – nos últimos dez anos; karaokê é formado por um longo poema seriado que ensaia as dimensões críticas acionadas no e pelo corpo que canta e lê. Os livros são, ao mesmo tempo, um e dois livros, na medida que jukebox dá a ver as investigações que karaokê propõe, parte do livro é composta justamente por canções de Dimitri em parceria com amigos ou solo. Nas livrarias, os livros podem ser adquiridos separadamente. A garupa, entretanto, sugere a leitura conjunta dos títulos.

 

 

sobre xs autorxs:

 

Caco Pontes é poeta. Persegue o hibridismo da palavra, transitando por variados formatos e livre associações em torno deles. Errante na busca pelas portas da percepção, sem deixar de assimilar ruídos e polifonias. Um mapa astral complexo. no mais, @cacopontes

 

Ana Frango Elétrico é compositora, poeta e artista visual. Aos 22, lançou dois álbuns de estúdio – Mormaço Queima (2018, independente) e Little Electric Chicken Heart (2019, Selo RISCO) – pelo qual recebeu o Troféu APCA 2019 na categoria Revelação da Música Popular. Participou de publicações independentes até estrear em livro, com Escoliose: paralelismo miúdo (2020), em que reúne poemas, ilustrações e gravuras feitos entre 2015 e 2019. Alguns desses poemas integram a antologia As 29 poetas hoje (2021), organizada por Heloisa Buarque de Hollanda.

 

Carioca de sangue paraense, Dimitri BR faz música, escreve e performa. autor do livro OCUPA (7letras, 2016, semifinalista do prêmio Oceanos 2017) e plaquete Breviário da sagrada dúvida (megamini, 2015), colaborou com escritores como Victor Heringer e Marília Garcia e coletivos como o Blis não tem Bis, Jardins Portáteis e CEP 20000. Integrou as bandas 3a1, URSS, Luisa mandou um beijo e A última peça, apresentando-se com elas ou em shows solo. Parceiro de Zélia Duncan e Bruna Beber, já compôs para banda, teatro, cinema, novela, escola de samba e videogame.

 

apanhado #4

R$ 75,00Preço