pré-venda até 10/agosto.

entregas a partir de 25/agosto.

 

***

 

Estamos diante de mais um tempo estranho e violento, como todos, e numa sucessão de catástrofes imprevisíveis. Assim, estamos sempre diante de um tempo para o poema. O método da exaustão, de Manoel Ricardo de Lima, foi escrito com o risco e o enfrentamento do presente, numa linha difusa entre um pensamento que vem da matemática e da filosofia e numa língua que “perdeu definitivamente o possessivo”: “sem eu / sem me / sem meu”.

João Barrento, crítico e tradutor português, no prefácio, chama atenção a isso e diz que desde os livros anteriores, o poeta, nascido no Piauí,  procura um misto de sabotagem e saque com uma imaginação extremamente densa e inventiva, “fora dos trilhos mais habituais da poesia, recusando a fala de um eu para escutar as vozes do mundo, num registro progressivamente menos metafórico e mais cru e direto, e acrescentando a todos esses ecos os que lhe chegam de uma tradição (poética, científica, filosófica, artística em geral, dos Gregos à atualidade) [...] como quando vira do avesso a noção estigmatizada de ‘força’, agora lida (com Leonardo e Galileu, Pasolini e Benjamin) em sentido novo, o de ‘pujança’ (o conatus que anima o vivo em Spinoza), oposto à rigidez estática e asfixiante da ‘forma’.”

À margem de qualquer ideia de gênero, este quarto livro de poemas de Manoel Ricardo de Lima, composto de 11 peças mais longas e fragmentadas, nos remete também a um tratado de política e abre uma mínima possibilidade para alguma esperança. Ele anota que o “impossível AINDA / existe” e que “não há nada para / ver meramente com / os olhos”. O método da exaustão é um livro que vem como uma emergência e uma exigência deliberada aos tempos de agora.

 

***

 

14 x 19 cm

196 p. 

 

 

o método da exaustão | manoel ricardo de lima

REF: 9788559860184
R$ 50,00 Preço normal
R$ 40,00Preço promocional

    (21) 3549-6040 | garupacontato@gmail.com

    Rua Teotônio Regadas, 26 – sala 402 | Lapa, Rio de Janeiro

    CEP 20021-360

    • Branca ícone do YouTube